LUÍS FERNANDES

Natural de Águeda, Luís Fernandes é coordenador geral da associação d’Orfeu desde 2000. É Membro do Conselho Consultivo Regional do Instituto Português da Juventude, cargo que ocupa desde 2003. É, ainda, Programador e Produtor Executivo, tendo a seu encargo vários eventos nacionais e internacionais, entre os quais, o Festival “O Gesto Orelhudo” e “Festim – Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo”. Músico laureado pela UNESCO com a Bolsa Aschberg em 2004.

MANUEL VALENTE

Engenheiro Químico, Membro Conselheiro da Ordem dos Engenheiros, iniciou a sua atividade profissional em 1970,  onde ocupou diversas funções de Direção Técnica e de Produção. Empresário de destaque na região, é sócio fundador, acionista e administrador do Grupo Durit.

JOSÉ LICÍNIO PIMENTA

Natural de Albergaria-a-Velha, forma-se em Ensino de Português, Latim e Grego pela Universidade de Aveiro. No seu percurso profissional, além de uma carreira docente, assume funções de Vereador na Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha, com competências delegadas nas áreas da Educação, Cultura, Desporto, Juventude, Modernização e Informação Municipal.  Dos vários projetos em que esteve envolvido, destaca-se a elaboração da primeira Carta Educativa do Concelho de Albergaria-a-Velha e da Carta Desportiva.

Pertencemos uma Associação Musical e, como qualquer associação deste género, temos na sua estrutura uma banda (Banda Sinfónica ARMAB) e uma escola de música (Academia de Música ARMAB). O nosso principal objetivo é o desenvolvimento da formação e cultura musicais, procurando incutir espírito crítico e elevar o nível cultural da comunidade que nos rodeia.

Podíamos ter continuado nesta linha, mantendo os mesmos projetos, com qualidade e empenho, mas conformando-nos com o de sempre. Mas, como Neruda escreveu num dos seus poemas: “Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca (…) Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo (...)”.

Como instituição reconhecida nacional e internacionalmente, sentimos a necessidade e o dever de proporcionar a toda a comunidade (pessoas, instituições, empresas), que se tem mostrado sempre disponível para nos apoiar, muito mais do que cultura musical. Desafiámo-nos a implementar novos projetos, a traçar novos objetivos... Nasce, assim, o projeto Fórum Empresa & Cultura, que vem desenvolvendo atividades geradoras de valor. Temos o compromisso de continuar a realizar e a desenvolver ações que se destaquem como mais-valia para e com todos os que, tão inconformados como nós na ARMAB, procuram a superação e a melhoria da nossa qualidade de vida.

Tal como Pablo Neruda, ansiamos não nos deixarmos «morrer».

Quem Morre?

Morre lentamente quem não viaja,
quem não lê,
quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio,
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos trajetos,
quem não muda de marca,
não se arrisca a vestir uma nova cor
ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão,
quem prefere o negro sobre o branco
e os pontos sobre os "is"
em detrimento de um redemoinho de emoções
justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos
dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho,
quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se
da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo,
não pergunta sobre um assunto que desconhece
ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.
Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade.

Pablo Neruda

Para mais informações, visite o nosso site:

www.forumempresaecultura.com